O Livro da Pizza

O primeiro livro publicado no Brasil sobre pizzas foi uma tradução do Il libro della Pizza ou O Livro da Pizza, de Vincenzo Buonassisi, editado pelo Círculo do Livro, na década de 80 do século passado. Além de ter sido um marco na história entre pizza e literatura, esse título traz muitas recordações…

Logo do Círculo do Livro

Um das lembranças mais fortes que eu tenho, de meados da década de 1970 e 1980, é a dos meus pais chamando os quatro filhos para “lerem” o catálogo do Círculo do Livro e escolherem um livro. A expectativa que isso trazia, com certeza, muitos dos jovens de hoje têm com os clubs de assinatura como TAG, Turista Literário ou Leiturinha, só para citar alguns (há alguns anos, tenho orientado TCCs em Produção Editorial com este modelo de negócio, o que mostra que o mercado tem encontrado caminhos para a crise na distribuição de livros no Brasil, mas isso é outra história…).

Há mais de 35 anos, eu ainda não gostava tanto de falar sobre pizza, apenas comê-la (rs) e, talvez por isso, um livro sobre a redonda não tenha chamado a minha atenção, embora minha mãe tenha comprado diversos livros culinários (como a gente chamava), naquela época. Sendo assim, só conheci o livro recentemente, quando comecei a pesquisa para a série Pizza é Literatura do Blog da Pizza.

Como não tenho nada de Gay Talese, que escreveu o melhor perfil do Frank Sinatra sem entrevista-lo, tive que adquirir O Livro da Pizza, para poder escrever esta resenha. Ainda bem que a Estante Virtual ainda não caiu no buraco negro dos problemas da Livraria Cultura e, por isso, foi muito fácil adquirir meu exemplar. Como deve ter sido um livro popular à época, existem muitas ofertas no site (no momento em que escrevo, existem 38 exemplares sendo vendidos, a preços que variam de 6 a 20 reais). Paguei R$14,00 mais o frete e ele chegou em uma semana.

Quem foi Vincenzo Buonassisi

Vicenzo Buonassisi
Vicenzo Buonassis

Vincenzo Buonassis nasceu em 7 de janeiro de 1918, na comuna (equivalente aos nossos municípios) de L’Aquila, que fica bem no centro da Itália e foi um importante escritor e crítico gastronômico. Formado em Direito, Buonassis foi combatente na Segunda Guerra Mundial, tornando-se prisioneiro na África. No final da década de 1930, foi convidado pelo Corriere della Sera para tornar-se jornalista, sendo que o primeiro artigo por ele assinado aparece em 1939, em que ele cobria os Littoriali di Trieste, um tipo de evento cultural e esportivo, promovido pelo Secretariado Nacional do Partido Nacional Fascista italiano. Não, não estou afirmando que Buonassisi era fascista (não pesquisei sobre isso), é apenas um fato histórico do início da sua carreira jornalística e que, com certeza, influenciou-o na sua jornada como escritor e crítico gastrônomico. 😎

Como jornalista, Buonassisi iniciou sua carreira falando sobre ópera, passou a fazer crítica televisiva até que começou a escrever sobre gastronomia. Permaneceu no Corriere até 1974, quando passou a se dedicar ao tema que mais amava. Escreveu mais de dez livros, além de manuais, livros de receita e ensaios históricos relacionados a especialidades gastronômicas. Dentre os títulos publicados, oito falavam sobre comida, sendo que vamos falar sobre o “mais importante” (pelo menos para nós): Il libro della pizza, publicado pela editora Fratelli Fabbri, em 1982.

Vincenzo Buonassi morreu no dia 14 de janeiro de 2004. O obituário publicado no dia seguinte à sua morte diz que:

O jornalista e escritor Vincenzo Buonassisi morreu ontem à noite em Milão. Por mais de trinta anos no “Corriere della Sera”, foi um grande especialista da música lírica sob a orientação de Ferruccio Lanfranchi. Em seguida, passou a escrever sobre música leve e TV e, finalmente, desembarcou na gastronomia, tema em que se tornou referência nacional.

Luzzatto Fegiz Mario, Corriere della Sera, 15 de janeiro, 2004

O livro da Pizza

Não precisa ser formado em Produção Editorial para saber que um livro traduzido para mais de 17 idiomas deve ser especial… este é caso do ll libro della pizza!

Capas de algums edições do livro Il libro della Pizza, de Vincenzo Buonassisi
Algumas das capas do livro Il libro della Pizza, de Vincenzo Buonassisi

A primeira edição em italiano saiu em 1982 e, alguns anos depois, chegou ao Brasil pela Art Editora em coedição com o Círculo do Livro, com tradução Caloca Fernandes. Pelo site da Biblioteca Nacional, foram duas edições, em 1985 e 1988, mas o meu exemplar é de 1994. Pode ser que a editora não tenha cumprido a Lei do Depósito Legal e, por isso, a edição de 94 não apareça no catálogo.

Buonassisi era um escritor que se preocupava muito com o papel da história e, uma citação bem legal dele é:

Storia del cibo, storia dell’uomo’ ou, em tradução livre, História da comida, história do Homem…

E a primeira parte do livro é dedicada à gênese da nossa amada redonda, desde a pré-história até a criação das pizzas mais famosas, como a Margherita. É claro que alguns fatos não possuem nenhuma referência, mas é muito interessante como o autor percorre, desde o surgimento da farinha, passando pela descoberta da massa e o processo de fermentação, a invenção do forno, o aparecimento do pão…

O pão assado pelos egípcios tinha uma grande ligação com a religião e seus rituais e festas, o que, segundo o autor, também estava presente nos pães em outros países, como na Italia, sendo que alguns deles já eram condimentados e temperados e, por isso, lembravam as focacce de hoje, ainda mais quando eram enriquecidos com azeitonas e torresmos.

No livro, descobri que em uma de suas obras, o poeta grego Virgílio (que morreu em 19 a.C.) dá a receita do Moretum, uma massa sem fermento, cozida no forno e que era comida acompanhada de cebola, regada com azeite e alho… Ou seja, já era uma “forma rudimentar da pizza”.

Por volta do ano 1000, em Nápoles, existia a picea, que era um disco de massa recoberto de ingredientes coloridos, antes de ser assada. Na mesma época, segundo Buonassisi, surge o termo pizza.

A jornada histórica continua, passando pelo acréscimo do tomate (séc. XVIII), surgimento da primeira pizzaria, a Port’Alba, em 1738, a presença da pizza nos contos de Alexandre Dumas, até a invenção da Pizza alla Margherita.

Pizzaria Vist'Alba
Fachada da Antica Pizzeria Port’Alba

A segunda parte do livro é dedicada às receitas. Como disse um crítico, o livro, por ser antigo, possui umas imagens sem muita produção, mas as 212 receitas valem a pena. A imagem em destaque dessa postagem é de uma das pizzas, a de Frutos do Mar.

O autor começa explicando o modo de fazer uma pizza de qualidade, através da receita de uma boa massa. Depois, o autor divide o livro em: Pizzas e calzoni, com 120 toppings e Focacce, tortas e fritelle, com mais 92 receitas.

O livro tem o seu valor por ser o primeiro publicado no Brasil sobre pizzas, pela parte histórica e pelas receitas. Se você é um pizzacólatra como eu, precisa ter em sua biblioteca!

Serviço

Título:O livro da Pizza
Autor:Vincenzo Buonassisi
Origem:Itália
Ano da publicação1994
Editora:Art Editora e Círculo do Livro
Avaliação3/5 estrelas

Que tal compartilhar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *